O futuro da Moda: recuperar e reimaginar

Das várias camadas implícitas no estudo da moda, há uma que se distingue, a visível. Sendo também a mais superficial, não deixa de nos conduzir ao mais profundo da sociedade, do local ao global.

Entre tantas camadas, como fio que corre, a memória solta-se em fragmentos de vivências, quase como pequenos instantes, todos ligados numa tela gigante chamada vida.

Social, o tecido conta uma história. Ou melhor, várias histórias. Pela passagem repetida de um fio, tecemos uma memória colectiva, através de formas de te ver Covilhã, cidade e serra. Com histórias de vida dos protagonistas que trabalham ou trabalharam no mundo fabril dos têxteis e do vestuário.

Instante és. Construção serás. Do trabalho de campo, ao da edição: de recolha de histórias, experiências de vida com passado dentro, mais densas ou mais leves, para figurarem em livros, formato papel e electrónico, inspirarem peças têxteis para uma edição-cápsula de jovens designers, até ao projecto de fundo e de folgo: uma série documental em vídeo, tecida e tintada com as cores e as formas da história do design de moda em Portugal, a partir de 1974, à volta de influências, escolas e afinidades.

Graciosidade das cores. Tomar certa cor, ou sentir-lhe a ausência. Neste capítulo, o vestuário completa-nos o ser, devolve-nos por inteiro à sociedade envolvente.

No feminino e no masculino. O discurso sem palavras ditado pela moda, ensaiando na história e também fora dela uma indumentária sem género.  O vestuário inscreve-nos no hoje. Por agora, é tudo.

Apresentação do Plano de Acção 2022 | 2025

Cristina L. Duarte, PS02 Design Têxtil e Moda

Doutorada e licenciada em Sociologia pela NOVA/ FCSH, com uma pós-graduação em Estudos Sobre as Mulheres.