O Museu do Ano

O Museu da Covilhã foi distinguido no dia 27 de maio, pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), como Melhor Museu do Ano 2022.

Este galardão, que é uma das principais distinções atribuídas a museus nacionais, foi anunciado na cerimónia que decorreu no auditório da Academia Militar, na Amadora, e recebido pelo Presidente do Município da Covilhã, Vítor Pereira, com a Vereadora da Cultura, Regina Gouveia, a Chefe da Divisão de Cultura, Patrícia Pinto, e a Coordenadora do Museu da Covilhã, Sandra Ferreira.

Segundo João Neto, presidente da APOM, o Museu da Covilhã destacou-se, de entre os restantes candidatos, pelo exemplo que representa ao nível da inclusão de públicos com limitações a vários níveis, pela qualidade do seu projeto e pela priorização de questões relacionadas com a acessibilidade dos seus espaços e conteúdos expositivos.

Estas foram as vertentes diferenciadoras para a atribuição do prémio máximo da APOM, que ainda distinguiu o Museu da Covilhã com as Menções Honrosas nas categorias de “Filme” e de “Informação Turística”. Financiado pelo Turismo de Portugal no âmbito do Turismo Acessível – programa Valorizar, este projeto museológico insere-se na estratégia municipal “Covilhã – a tecer a acessibilidade”, tendo sido concebido e coordenado pela empresa covilhanense Formas Efémeras, envolvendo na sua execução outras entidades locais como a Lobby, a Tecnat e a Wdretail.

Durante a cerimónia, foram apresentados os premiados das 32 categorias, às quais concorreram cerca de 270 projetos, que distinguem várias áreas atribuídas a museus, projetos, boas práticas, profissionais e diversas atividades desenvolvidas no setor, em todo o país, além de outros domínios como melhor exposição, melhor filme, melhor fotografia, inovação e criatividade, informação turística, entre outros. O encerramento e a entrega do principal troféu da APOM, desenhado pelo artista plástico Fernando Quintas, foram acompanhados por uma mensagem especial do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em que felicitou o Museu da Covilhã.

Agradecendo o reconhecimento da APOM, Vítor Pereira destacou “a importância do novo Museu da Covilhã na restituição de espólio histórico da cidade e do concelho aos covilhanenses, bem como na apresentação do território a turistas, através de uma narrativa diacrónica e inclusiva, acreditando que “o prémio agora recebido irá aumentar ainda mais o elevado interesse que tem merecido desde a sua abertura”.

Localizado no centro da cidade, o Museu da Covilhã abriu ao público em agosto de 2021. Instalado num edifício projetado por Ernesto Korrodi no princípio do século XX, o Museu aborda cronologicamente as diferentes épocas de ocupação do território do concelho, seja através da implementação de tecnologia inovadora no percurso museológico, de textos, mobiliário e materiais acessíveis, ou de formas expositivas multimédia, imersivas e multissensoriais.

É um espaço público, gratuito e central, cujo projeto museográfico contemplou critérios de acessibilidade, permitindo aos diferentes públicos usufruir dos conteúdos apresentados, independentemente das suas limitações. Encontra-se aberto de terça-feira a domingo, nos períodos 10:00-13:00 e 14:00-18:00.

MuseuDoAno